quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Atividade utilizando tecnologia assistiva

Hoje eu quero destacar uma atividade que foi desenvolvida pelo POIE( Professor Orientador de Informática Educativa.
Acredito que esta atividade ilustre de forma prática a inclusão escolar acontecendo na nossa escola!
Pensando em atender as necessidades apontadas por um aluno do 8º Ano de Ensino Fudamental, que apresenta mielodiosplasia, hidrocefalia derivada e agenesia de sacro,pensei em trabalhar uma das tecnologias assistivas apresentada pelo roteiro de atividades do CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACESSÍVEIS,promovido pela UFRGS e que contribui para o desenvolvimento curricular proposto nas orientações didáticas da rede municipal de ensino e que considera as diferenças na sala de aula, seja por uma deficiência cognitiva ou uma dificuldade de aprendizagem.
Segue o roteiro planejado e as respectivas atividades!


FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACESSÍVEIS

Módulo 2 - Introdução à Informática Acessível
_________________________________________________

Modelo para Relatório das atividades do aluno usando Tecnologia Assistiva

A seguir apresentamos um modelo para auxiliar na observação e análise da utilização de uma tecnologia assistiva por um aluno. Este modelo de relatório oferece apenas alguns parâmetros que podem ser adaptados de acordo com os objetivos do professor.

Professor-cursista: Jane Cristina de Souza
Formador: Marco Antonio Sandini Trentin e Dirce Maria Rafaelli

Tutor:
Lucila SantaRosa

1. Aluno: O Aluno F.M.S,tem 16 anos e cursa o 8º Ano do ensino fundamental II, tendo sido diagnosticado pela AACD como portador de mielodiosplasia, hidrocefalia derivada e agenesia de sacro (CID Q061/Q03/Q764) e utiliza-se de cadeira de rodas para sua locomoção. Seu nível de escrita se enquadra como silábico com valor.

Sua verbalização é pouco comprometida, porém apresenta dificuldades e verbalizar determinadas palavras.

Durante os atendimentos, foi percebido que o aluno demonstra interesse nos desenhos, nas atividades com pinturas, recortes e colagem.

Foi observado que o aluno tem muita dificuldade na assimilação do aprendizado, esquecendo com muita frequência, mas é dedicado e interessado.

2. Descrição da atividade planejada pelo professor

Foi proposta a criação de frases através de figuras, haja vista que foi percebido o interesse da criança pelo desenho. O objetivo desta metodologia se consistiu em observar à organização e manipulação das imagens de tal maneira que fosse possível a criação de frases. Para a comunicação foi elaborada um conjunto de figuras aumentativa e alternativa, no qual se acrescentou alguns novos símbolos PECS - Sistema de Comunicação por Figuras (Picture Exchange Communication System), pranchas sugeridas através do site http://pecsemportugues.blogspot.com/ indicado pelo curso.

Foi solicitado que o aluno fizesse, juntamente com o orientador, a procura das figuras que ainda não possuía em sua pasta, salvando em seguida no programa paint, e logo após, efetuou-se o recorte da figura e a colagem no programa Word.

3. Tecnologia Assistiva escolhida Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA)

4. Reflexão sobre a experiência:

a. Dúvidas, facilidades e dificuldades no manuseio da tecnologia por parte do aluno

O aluno interpretou a atividade como um jogo, facilitando, dessa forma, a aplicação da metodologia escolhida. Em função da sua patologia, formava palavras desconexas, necessitando de auxilio do orientador para uma melhor reflexão com o intuito de atingir o resultado esperado.

b. Análise da produção do aluno: (qualidade do trabalho; estratégias, raciocínios, conceitos envolvidos...)

A qualidade do trabalho foi boa, pois o aluno conseguiu se adaptar as condições estabelecidas e por diversas vezes foi estimulado a refletir para resolver o problema proposto ou atividade. O estimulo visual foi bastante útil nesse caso e os interesses do aluno pelos meios digitais criaram uma sinergia extremamente eficaz.

c. Conclusões: Através desta atividade, foi percebido que o uso dos PECS é muito valioso e torna-se um importante recurso, não apenas para pessoas que possuem dificuldades na comunicação, mas como recurso para pessoas com outros tipos de dificuldades ou deficiência. A escolha dos símbolos foi de acordo ao interesse do aluno, no intuito de garantir sua motivação e facilitar sua compreensão e espontaneidade. Diante disto, foi percebida a eficácia da Tecnologia Assistiva, que é proporcionar às pessoas com deficiência, uma maior independência, qualidade de vida e inclusão social. Tudo isso através da ampliação de sua comunicação, mobilidade, controle de seu ambiente, habilidades de seu aprendizado.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

vídeo maravilhoso !

video

Desenho Universal


O QUE É DESENHO UNIVERSAL?
O conceito de Desenho Universal se desenvolveu entre os profissionais da área de
arquitetura na Universidade da Carolina do Norte - EUA, com o objetivo de definir
um projeto de produtos e ambientes para ser usado por todos, na sua máxima
extensão possível, sem necessidade de adaptação ou projeto especializado para
pessoas com deficiência.
O projeto universal é o processo de criar os produtos que são acessíveis para todas as pessoas, independente de suas características pessoais, idade, ou habilidades. Os
produtos universais acomodam uma escala larga de preferências e de habilidades
individuais ou sensoriais dos usuários. A meta é que qualquer ambiente ou produto
poderá ser alcançado, manipulado e usado, independentemente do tamanho do
corpo do indivíduo, sua postura ou sua mobilidade.
O Desenho Universal não é uma tecnologia direcionada apenas aos que dele
necessitam; é desenhado para todas as pessoas. A idéia do Desenho Universal
é, justamente, evitar a necessidade de ambientes e produtos especiais para
pessoas com deficiências, assegurando que todos possam utilizar com segurança
e autonomia os diversos espaços construídos e objetos.
VEjA qU E NãO S O M O S T O D O S IgUAIS...
Ao longo de nossa vida mudamos nossas características e atividades. Quando
somos crianças, nossas próprias dimensões nos impedem de alcançar ou manipular
uma série de objetos, às vezes, por segurança, às vezes, porque a criança não foi
pensada como usuário. Quando adultos, nos encontramos em inúmeras situações
que dificultam, temporariamente, o nosso relacionamento com o ambiente -
como gestação, fraturas, torcicolos, quando carregamos pacotes muito grandes
ou pesados, entre outros. Ao alcançarmos mais idade, nossa força e resistência
decrescem, os sentidos ficam menos aguçados e a memória decai. Também é
possível, mesmo que não freqüentemente, ao logo da vida, adquirir alguma
deficiência, seja ela física, psíquica ou sensorial.
O ser humano “normal” é precisamente o ser humano “diverso”, e é isso que nos
enriquece enquanto espécie. Portanto, a normalidade é que os usuários sejam
muito diferentes e que dêem usos distintos aos previstos em projetos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Sempre haveremos de precisar uns dos outros...


Assista o vídeo do Poema de Mario Quintana Deficiências
http://www.youtube.com/watch?v=hS2sPwmcwOo&feature=related